Morro dos Ingleses


O Morro dos Ingleses fica entre a praia dos Ingleses e a praia do Santinho.

Visão geral da face Oeste, onde estão as vias de escalada em rocha (Foto de Adriano Pina)

 

Há áreas de boulder no Morro dos Ingleses, nos costões próximo ao mar. As escaladas em vias estão concentradas em uma face Oeste de rocha que se acessa através do sistema de trilhas já consolidado na região, com início ao final da areia da praia dos Ingleses, no canto direito, após alguns ranchos de pescadores.

A maioria das vias possui proteção fixa (grampos e chapeletas), paradas duplas fixas, com algumas possibilidades de proteção móvel. A qualidade da rocha é média, e há bastante vegetação na parede, como gravatás, musgos e liquens. Pode-se escalar todas a vias com uma corda simples de 50 metros e cerca de 6 costuras. Há algumas vias da base da pedra até o topo, com até 4 enfiadas, e outras mais curtas, sendo algumas destas acessíveis por algum ponto das vias longas. Pode-se rapelar facilmente pelas vias (rapéis com cerca de 20 metros), apesar do topo ser acessível por trilha.

Há bastante mosquitos no local, principalmente no verão. O sol bate no setor à tarde. Não há água no local. A rocha tende a demorar alguns dias para secar depois da chuva.

O destaque do setor está em um dos mais belos visuais de escaladas em Florianópolis, e a presença de vias equipadas e bem protegidas com proteções fixas com dificuldade na faixa do 4o grau e 5o grau, e com mais de uma enfiada de corda.

Abaixo, a compilação de informações de algumas vias que saem da base da parede e vão até o seu final, da esquerda para a direita:

 

Medo de si

5o V D1 E2
Rapel de até 20 metros pela própria via. Três enfiadas de corda com proteções fixas de chapeleta e grampo para progressão e dupla nas reuniões (paradas): 1a enfiada: 3 fixas + reunião, 2a enfiada: 2 fixas + reunião, 3a enfiada: 3 fixas + reunião. Há poucas opções para móveis.

 

Estilo albino

5o Vsup D1 E3 (sem móveis)
Rapel pela Medo de si (as duas terminam da mesma parada). Cinco proteções fixas, uma reunião intermediária com duas chapeletas simples, e a parada dupla final (mesma da Medo de si). Há opções de proteção em móvel (peças pequenas), que foram previstas na forma como foi equipada.

 

Acorda narigão

5o 7a(A0) D1 E1
Rapel pela própria via. Proteções fixas com chapeletas e grampos na progressão e reuniões (dupla). A parada final fica bem próxima à da Alameda das bromélias. A primeira enfiada original da via é junto da saída da Alameda das bromélias, realizando-se uma forte diagonal à esquerda. Hoje há uma variante para esta primeira enfiada, que faz uma linha mais direta verticalmente até a primeira parada, e tem sua saída em uma pequena abertura no mato mais à esquerda da clareira onde se inicia a Alameda das bromélias. A dificuldade da via em geral é entre 4o e 5o, com um crux bem claro e mais difícil do que a média, em um trecho de 5 metros, logo após a primeira parada, mas que pode ser facilmente artificializado usando as próprias costuras.

 

Alameda das bromélias

5o Vsup D1 E1
Rapel de até 25 metros pela própria via — atenção para o último rapel, pois a primeira enfiada de corda tem duas paradas duplas: a mais baixa à 25m da base, e a segunda, logo em seguida, em um platô, indicada para ser usada como reunião na escalada, à 30m da base. A via está toda equipada com proteções fixas (grampos e chapeletas), sendo duplas nas paradas (reuniões). Não há necessidade de móveis.